domingo, 27 de janeiro de 2013

Santa Maria: Mãe de Deus!

Rogai por nós, os pecadores, que saímos de nossas casas em busca de diversão. Rogai por nós, porque agora é preciso. Rogai por nós que nos colocamos no lugar de cada vítima de hoje, com os sonhos destruídos: Não tem mais faculdade, não tem mais a conquista daquele amor, aquela viagem já paga, aquela surpresa que a vida reservava. É como se eu não pudesse mais escrever este texto hoje. E amanhã eu não pudesse mais enfrentar e resolver os problemas do meu trabalho. É como se eu não sonhasse mais vender aquela ideia que eu e meus amigos consideramos genial. Essa dor poderia ser ainda mais nossa. Rogai por nós que imaginamos o desespero de cada pai e mãe que hoje ao acordar, olhou discretamente (como em todo fim de semana) no quarto do filho pra ver se ele já havia chegado. E a cama estava intacta. E que ligou a televisão e sentiu um tremor que não há escala pra mensurar. É como se eu pudesse imaginar os olhos de minha mãe. E isto é profundamente triste. Poderia ter sido minha mãe. Rogai por nós que nos colocamos na posição de cada um que perdeu um amigo. Ou alguns amigos. É como se de repente, eu tivesse inserido uma cicatriz profunda em cada um deles. E que nunca deixará de doer. É como se eu tivesse abandonado o time e não os tivesse ajudado a resolver suas dores. Essa dor poderia ser ainda mais nossa. Rogai por nós que também nos colocamos no desespero do homem que segurava o sinalizador e de repente o mundo estava fora de controle. É como se eu tivesse feito um mal irreparável para muitos alguéns. Poderia ter sido eu. Claro, que poderia ter sido eu. Essa dor poderia ser ainda mais nossa. Rogai por nós, que nem católicos somos. E que hoje não conseguimos esquecer a prece decorada: “Santa Maria. Mãe de Deus! Rogai por nós os pecadores. Agora e na hora de nossa morte” Amém!

2 comentários:

Tuca Zamagna disse...

Oportuna oração, Barbara. E comovente. Me lembrou uma longa crônica do Rubem Braga (que, parece, já foi um gigante, até que a internet criou um monte de caras maiores que ele, embora anões): "Ai de ti, Copacabana".

Waleska Frota disse...

Gostei Barbara.
Abç.